quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Análise Do Jogo: Santos 3 x 1 Kashiwa Reysol

Santos e Kashiwa Reysol fizeram a primeira partida das semifinais do Mundial de Clubes da FIFA. O time brasileiro veio a campo com o time que vinha treinando normalmente, Durval na lateral esquerda, no lugar de Léo, e Elano como um terceiro homem no meio campo, atuando pelo lado direito.

O Kashiwa do técnico Nelsinho Baptista jogou num 4-4-1-1, com Tanaka e Kudo se revezando no papel de centro avante. Leandro Domingues, apesar de no esquema desempenhar a função de um meia direita, flutuava em campo e não guardava posição, hora fechando pelo meio, hora aparecendo como um segundo atacante. Diferente de seu compatriota Jorge Wagner, que se limitava em correr pelo flanco esquerdo.

O jogo começou e o que se via era um time do Santos nervoso, sem conseguir tocar a bola e envolver o adversário, talvez pela ansiedade, talvez pela falta de ritmo. Fato é que o time japonês chegou a ter 60% de posse de bola no primeiro tempo. Uma surpresa não só pela categoria do elenco santista, mas também pela falta de qualidade por parte do time do Kashiwa, ao menos foi essa a impressão deixada no jogo anterior contra o Monterrey.

Não da para saber se esse aparente domínio do Kashiwa foi uma armadilha armada pelo técnico Muricy, para explorar os contra-ataques ou se simplesmente o jogo do Santos não encaixou, mas a conclusão é de que apesar da maior posse de bola, o time japonês não conseguiu criar nenhuma chance de gol e deixava espaços para o contra-ataque santista.

Já que o Santos não conseguia impor seu estilo de jogo, o jeito foi resolver na individualidade. Primeiro com Neymar aos 19 minutos de jogo, que após deixar o marcador no chão, bateu de esquerda com estrema categoria do ângulo do goleiro japonês para abrir o placar. Cinco minutos depois do primeiro gol, o Santos ampliou a vantagem, novamente numa jogada individual, mas agora do atacante Borges que pouco havia aparecido até então. O centro-avante dominou, girou em cima de dois defensores e bateu forte da entrada da área para ampliar o marcador.


Neymar bate de canhota para abrir o placar na semifinal. Fonte: Folha

O segundo tempo começa e o Kashiwa continua com maior posse da bola, mas agora com uma atitude muito mais incisiva e o resultado veio logo aos nove minutos do segundo tempo, após cobrança de escanteio, o bom lateral direito Sakai ganha de Henrique no alto e cabeceia para diminuir o placar e dar esperanças ao time japonês.

A pressão aumenta em cima do Santos, o Kashiwa vai para cima e abafa a saída de bola santista, porem os contra-ataques do time brasileiro ficam cada vez mais perigosos. Primeiro Neymar deixa Danilo na cara do gol, o lateral chuta em cima do goleiro e desperdiça uma ótima chance. Em outro contragolpe, Danilo arranca do meio e é parado com falta por Kurisawa, que leva amarelo. Numa cobrança magistral, Danilo faz 3 a 1 e coloca números finais ao jogo. Os japoneses ainda viriam a chutar uma bola na trave e perder um gol debaixo da meta de Rafael.

Apesar de três belos gols e de boas atuações de Ganso e Neymar, o time da baixada não jogou bem. O trio de volantes escalados por Muricy deu espaço e não conseguia sair com a bola, alem de atuações muito fracas de Edu Dracena, Durval e Danilo, que apesar de ter ido bem no apoio, levou varias bolas nas costas.

Se o Santos quiser ter alguma chance contra o Barcelona, terá que jogar mais e errar menos na final.


Confira abaixo vídeo com os melhores momentos da partida, com narração de Cléber Machado:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...